segunda-feira, 28 de junho de 2010

Tanta estrela para pouco céu


Na partida dos opostos, os jovens alemães venceram os experientes ingleses, com sonoros 4 a 1, e se classificaram para as quartas-de-final da Copa do Mundo. O próximo adversário da Alemanha será a Argentina.

Neste post, não vou escrever muito sobre a Alemanha, que fez um belíssimo jogo por sinal e mereceu a vitória, mesmo com um erro clamoroso do árbitro que poderia ter mudado, em partes, um pouco a história desta partida. Mesmo que mereça, também não irei destacar o belo confronto, talvez o melhor desta copa. Reservo este post para escrever brevemente sobre a atuação da Inglaterra nesta Copa do Mundo.

Uma seleção que chegou a Copa do Mundo comandada por um reconhecidamente excelente e bastante experiente, o “mestre” Fábio Capello, técnico mais bem pago deste mundial disparado com 8.800.000 euros anuais e que tinha dentre seus comandados uma seleção repleta de craques e de atletas que atuam na Inglaterra, como Rooney, Lampard, Gerrard e cia.

Tudo isso é teoria.

Na prática, Capello insistiu no esquema 4-4-2, sendo que, só para citar, Lampard e Gerrard, nem no Chelsea e muito menos no Liverpool, jogam assim. Estes atletas experientes juntamente com Rooney fizeram um mundial como jogadores “normais” e nem de longe tiveram atuações que geralmente tem em seus clubes, dentre vários outros fatores que podemos tentar explicar o quem sabe até a inexplicável campanha inglesa nesta copa.

Uma seleção apática, mesmo de craques. Com jogadores que pouco conversavam entre si, talvez por anos e anos de rivalidade em seus clubes, e que por isso em pouquíssimos momentos mostraram-se unidos em prol de sua pátria na gana por obter boas atuações ou até mesmo pela conquista de um resultado.

Nem o dinheiro, os craques, a mídia, a camisa, etc, foram capazes de fazer os ingleses sonharem com o título. Numa seleção de muitas estrelas, para pouco pouco céu.

Um comentário:

Gabriel Tramarin disse...

O Capello ganha tão bem assim para cair nas Oitavas? que vergonha.

Eu acho que se ele for permanecer (fato que acho difícil de acontecer) a federação inglesa tem que reduzir o salário dele.

8.800.000 ?! com isso o cara tem que ganhar tudo que disputar.