quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

No último minuto, Rooney coloca Devils na final da Carling Cup



A atmosfera era incrível: clássico local, valendo vaga na final, de um lado um time buscando chegar numa decisão desde o começo da década de 80, do outro lado um time querendo provar que tem mais camisa do que o rival tem de grana, e, pra completar, jogadores se ofendendo publicamente (Gary Neville e Tevez, especialmente). O cenário se mostrava ideal para uma grande partida. E ela, de fato, aconteceu.

Os dois times entraram em campo com táticas semelhantes: do lado vermelho, apenas Rooney na frente; do lado azul, apenas Tevez. Aberto pelos flancos Nani e Giggs, pelos Devils, e Bellamy e Wright-Phillips, pelo City. Mas, com a obrigação de precisar vencer a partida, o United foi pra cima desde o começo, marcando o rival no campo ofensivo.

Porém, a primeira real chance de gol aconteceu aos 29 minutos, e foi do time visitante: em jogada pelo flanco esquerdo, Bellamy cruzou na área e Tevez cabeceou forte, no canto esquerdo de Van der Sar, que voou para fazer a defesa. Poucos minutos depois veio a resposta do United, com Giggs chutando forte e rasteiro, mas Shay Given defendendo no centro do gol.

Veio o segundo tempo, e de cara quase pinta um golaço: Micah Richards correu com a bola desde o meio campo e, cortando pra dentro, da entrada da área, chutou de perna esquerda, no ângulo, mas Van der Sar fez outra boa defesa.

A partir daí, o Manchester United cresceu na partida e, em sua primeira investida ao ataque, aos sete minutos, veio o gol: Giggs, da direita, cruzou no meio da área para Nani, que foi parcialmente desarmado, mas a bola sobrou para Carrick que, com um toque para trás, na entrada da área, serviu Scholes. O meia inglês finalizou com precisão, no canto direito de Given.

Após abrir o placar, o que se viu foi um United completamente dominante na partida, sufocando o City em seu campo defensivo. O gol, ainda que tenha demorado a sair, parecia mera questão de tempo, e saiu aos 26 minutos: Fletcher recebeu passe de Nani pelo alto, dentro da área e, ao tentar rematar a gol, foi travado pelo zagueiro Boyata, mas ainda deu pro escocês tocar de leve para trás e Carrick marcar o segundo, em chute cruzado, semelhante ao primeiro gol.

Mesmo com a desvantagem, o City seguia sendo pressionado, a sensação era que o time de Alex Ferguson estava mais perto do terceiro. Aos 28, Rooney perde uma chance inacreditável, de dentro da pequena área, chutando rente ao poste direito de Given.

Mas eis que aparece Tevez na partida. Aos 31 minutos, Ireland dá um chutão pra frente, Tevez domina na intermediária e rola para Adebayor (sua primeira partida após o atentado contra a seleção de Togo), que entrou aos 27 do segundo tempo, e rola para Bellamy, no flanco esquerdo. O galês cruzou e o argentino se antecipou a Rio Ferdinand, marcando um bonito gol e aumentando ainda mais as vaias que o perseguiram durante toda a partida.

O time da casa não queria prorrogação e foi pra cima, e perdeu outra grande chance aos 35 minutos, com Carrick, chutando rente ao gol de Given. Aos 45, o goleiro irlandês provou por que é um dos melhores goleiros do mundo: cruzamento da direita e Fletcher, na pequena área, cabeceou forte, e Given, num reflexo absurdo, fez a defesa.

Mas, no escanteio subsequente ao lance, veio o gol: em cobrança curta, Giggs, um dos grandes nomes da partida, cruzou na medida para Rooney cabecear, indefensável para o goleiro do City. O argentino Zabaleta, que fez partida de razoável pra boa, era quem devia estar na marcação. Uma falha que a torcida do lado azul da cidade não esquecerá por um bom tempo.



Na decisão, no dia 28/02, o Manchester United enfrenta o Aston Villa, que eliminou o Blackburn na outra semifinal. A final será em Wembley.


Ficha da partida:

Carling Cup - Semifinal - Jogo de volta
Old Trafford, Manchester

Manchester United 3 x 1 Manchester City (4-3 no agregado)


Man Utd: Van der Sar; Rafael(Brown), Ferdinand, Evans e Evra; Carrick, Fletcher e Scholes; Nani(Valencia), Giggs e Rooney.
Téc.: Alex Ferguson.

Man City: Given; Micah Richards, Boyata, Kompany e Garrido(Ireland); Nigel de Jong, Zabaleta e Barry; Wright-Phillips(Adebayor), Bellamy e Tevez.
Téc.: Roberto Mancini.

Gols: Scholes 52', Carrick 71' e Rooney 90+2'; Tevez 76'

2 comentários:

carol sakurá disse...

Belo e emocionante jogo,né?srrsrs

Valeu!

Blu disse...

Sensacional esse jogo aí.

Um salve a bela partida do Giggs. Que precisão nos passes!