sexta-feira, 12 de março de 2010

Liga Europa: Como visitantes, Liverpool e Fulham são derrotados

Nesta quinta-feira foram realizados os jogos de ida das oitavas-de-final da Liga Europa, e dois ingleses estiveram em ação, mas sem sucesso: o Liverpool foi à França e foi derrotado pelo Lille por 1 x 0, enquanto o Fulham visitou a Juventus e voltou pra Londres com um revés de 3 x 1.

Podendo contar praticamente com o que tem de melhor no seu elenco, o Liverpool foi ao Lille Metropole com favoritismo, mas logo de cara se viu sufocado pelo time francês, que jogava no 4-3-3, com sua linha de frente pressionando os Reds em seu campo. Talvez até forçado pelo rival, o time de Rafa Benítez mais parecia um 4-4-1-1, com os pontas Dirk Kuyt e Ryan Babel atuando praticamente como marcadores, enquanto Steven Gerrard era quem mais se aproximava de Fernando Torres. E isso, como não deixaria de ser, não dava quase nenhuma saída de bola pro time.

Apesar de tudo, no primeiro tempo quem teve as melhores chances foram os Reds, mas esbarraram na boa atuação do experiente goleiro Mickaël Landreau.

Depois de terminar a primeira etapa melhor, se esperava um Liverpool se impondo a partir do segundo tempo, mas o que se viu foi um time que justifica o péssimo sexto lugar na Premier League. Com Torres e Gerrard - esse último, em especial - completamente irreconhecíveis, o time fez por merecer a derrota, que até tardou a sair, com um gol de Eden Hazard, nas letais cobranças em que a bola é alçada na área, não desvia em ninguém e mata o goleiro.


Ficha da partida:

Lille: Landreau; Beria, Chedjou, Rami e Émerson; Mavuba, Balmont e Cabaye(Dumont); Hazard, Obraniak(Larsen Touré) e Frau(Pierre Aubameyang).
Téc.: Rudi Garcia.

Liverpool: Reina; Glen Johnson, Carragher, Agger e Insúa; Kuyt(El Zhar), Lucas, Mascherano e Babel(Riera); Gerrard; Fernando Torres.
Téc.: Rafa Benítez.

Já em Turim, um exótico jogo entre a gigante Juventus e o pequeno (em termos europeus) Fulham. Acabou prevalecendo a equipe de mais camisa e tradição. Logo aos nove minutos, Diego cobrou escanteio da direita e Nicola Legrottaglie abriu a contagem para a Vecchia Signora.

O Fulham fez boa parte da sua temporada num 4-4-2 típico, mas em suas últimas partidas passou a atuar no 4-2-3-1, e desde então o time passou a primar demais por bolas longas para o atacante Bobby Zamora. Como não há um grande jogador no meio de campo dos Cottagers, era praticamente impossível a bola chegar em condições de finalização.

A Juve aumentou a vantagem com um raríssimo gol de Jonathan Zebina, o seu segundo em catorze anos de carreira (!), num belo chute de fora da área, indefensável para Mark Schwarzer.

Eis que o Fulham acha um gol: em levantamento para a área, a bola sobra para Dicksou Etuhu chutar, a bola desviar em Legrottaglie e matar o goleiro Alex Manninger, gol esse que mantém vivo o time inglês. Mas, nos acréscimos do primeiro tempo, David Trezeguet pegou rebote do próprio chute, que explodiu na trave, e deu números finais ao confronto.

Como nota positiva, fica a volta do Clint Dempsey aos gramados, depois de dois meses afastado por séria lesão no joelho.

Com o gol marcado como visitante, ao Fulham "basta" uma vitória por 2 x 0. Todos os jogos de volta acontecem na próxima quinta-feira.


Ficha da partida:

Juventus: Manninger; Zebina, Cannavaro, Legrottaglie e Grosso; Salihamidzic(Camoranesi), Poulsen(Sissoko) e Marchisio; Candreva e Diego; Trezeguet(Iaquinta).
Téc.: Alberto Zaccheroni.

Fulham: Schwarzer; Baird, Hangeland, Aaron Hughes e Konchesky; Dickson Etuhu e Greening; Duff, Gera e Simon Davies(Dempsey); Zamora.
Téc.: Roy Hodgson.

Um comentário:

Fora de jogo disse...

Boas!!!

Passamos a seguir o vosso blog. Sigam também o nosso.

Um abraço