quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Análise da semana: O que falta ao Tottenham?

Há exatas duas semanas, foi escrita aqui uma coluna chamada “Mais do que três pontos”, contextualizando a vitória do Liverpool sobre o Aston Villa. A análise de hoje poderia ter o mesmo nome, só que com conotação negativa: o Tottenham perdeu muito além do que três pontos diante do mesmo time liverpuldiano, nesta quarta-feira.

O jogo foi válido pela 21ª rodada, e os Spurs chegaram ao Anfield Road com quatro pontos de vantagem sobre os Reds. Ao final da partida, era apenas um ponto que separava o agora sexto colocado Liverpool para o quarto colocado Tottenham. Os dois gols de Kuyt fizeram reacender um alerta em White Hart Lane: a história vai se repetir?

O alerta não vale para as duas últimas temporadas, onde o time londrino fez campanhas de recuperação e terminou no meio da tabela, mas nas duas temporadas anteriores o Tottenham esteve muito próximo de conquistar a vaga na Champions League. A mais traumática delas foi, sem dúvida, a da temporada 2005/06, quando iniciou a última rodada à frente do Arsenal, na quarta colocação, e perdeu a vaga ao ser derrotado pelo West Ham, enquanto via seu rival bater o Wigan e ficar com o último posto na competição continental.

O elenco é forte como há muito tempo não se via, não é fácil apontar brechas num time que costuma ter no banco jogadores como Gareth Bale, David Bentley, Jermaine Jenas, Robbie Keane e Roman Pavlyuchenko - sem contar Ledley King e Woodgate, chegadinhos num departamento médico, mas titulares em condições normais. E ainda parece ter conseguido resolver seu crônico problema de goleiros, pois Gomes, enfim, se firmou.

Mas parece faltar um algo a mais no time de Harry Redknapp, especialmente quando enfrenta o ‘Big Four’. Ao todo, contando Copa da Liga Inglesa, são cinco derrotas e uma vitória – contra o Liverpool, na estreia da EPL. E, pra piorar, o Tottenham tem uma seqüência simplesmente cruel entre a 34ª e 36ª rodada: Arsenal e Chelsea, em casa, e Manchester United, fora.

É surreal imaginar que os Spurs chegarão na 34ª rodada matematicamente classificados pra Liga dos Campeões, ou seja, se passar essa trinca de jogos sem pontuar, dificilmente vai conseguir. Além disso, visita outro concorrente direto, o Manchester City, na 29ª rodada.

Falta ao Tottenham aquela vitória inesperada, um triunfo fora de casa contra um gigante, um jogo que façam todos olharem-o com o respeito que merece. Chances de mudar a impressão vai haver. De confirmar, também...


Time-base(4-4-2): Gomes; Corluka, Bassong(Ledley King), Michael Dawson e Assou-Ekotto; Huddlestone, Palacios(Jenas), Kranjcar e Lennon; Defoe e Crouch.

Artilheiros na temporada:
Jermain Defoe – 16 gols
Robbie Keane – 9 gols
Peter Crouch – 8 gols
Niko Kranjcar – 6 gols

Curiosidade: Na mesma altura da temporada passada, o Tottenham dividia a lanterna da Premier League com Blackburn, Middlesbrough, Stoke City e West Bromwich, todos com 21 pontos. Pelo saldo, era o 16º.

Próximos compromissos:
23/01 FA Cup – vs Leeds United
26/01 Premier League – vs Fulham
30/01 Premier League – Birmingham vs
06/02 Premier League – vs Aston Villa
10/02 Premier League – Wolverhampton vs
21/02 Premier League – Wigan vs

5 comentários:

Eduardo Junior disse...

Ontem o Lennon fez uma enorme falta, o Modric não conseguiu ocupar bem aquele lado direito. O Tottenham precisa mudar essa imagem de grande perto dos pequenos e de pequeno perto dos grandes. Ontem não venceu porque não quis, o Liverpool estava todo remendado

carol sakurá disse...

Hy,amigo!
Que a história do Tottenham seja diferente nesta liga.
srrsrs

Abs!

Vinícius Franco disse...

O time dos Spurs é bom, mas também acho que falta um "algo a mais", falta "dar liga".
Deve melhorar os resultados durante a competição, mas acho que fica só com a Liga Europa.

Thiago Ienco disse...

Falta ao Tottenham (e ao Aston Villa) uma postura diferente. Não basta ter uma bom elenco e um técnico diferenciado. O que faz um time campeão (ou no caso, classificado para a Liga dos Campeões) é a maneira no qual o time encara as competições e as partidas. Falta aos Spurs o espírito de vencedor, de time grande, de lutar até o final, para que mesmo na derrota, o time saia de campo como se saísse de uma batalha. Só assim o Tottenham vai conseguir lutar em nível de igualdade com os times do "Big Four". Mais uma vez parabéns pela "Análise da Semana", excelente seção do blog. Abraços!

Thiago Nunes disse...

ótima, matéria.
O Tottenham está muito bem nesse ano e tem tudo para conseguir essa vaga na Champions, a unica coisa que pode nos tirar de lá é a famosa inconstância que o time apresenta.

www.tottenhambrasil.com.br